domingo, 3 de outubro de 2010

Video Arte:

Trabalho TCE - 3

video

Arte Postal:











ARTE POSTAL


Primeiramente posso dizer que a arte que enviei para minha colega, me trouxe muita satisfação, pois foi algo novo que aprendi e mais por poder passar para outra pessoa o conhecimento que pude adquirir.
Fiz um porta retrato e utilizei varias ferramentas:Martelo,cola para couro(sapateiro),compasso,afiador,pincel,tinta,faquinha para cortar o couro,goivinha para o acabamento ao redor do quadro,balaio para fazer o meio(balaiar),picotador para cortar as bordas,régua para medir e marreta para bater a goivinha e não posso me esquecer da manta de sola(couro).Segue algumas fotos em destaque para que possam ver:

Podemos ver que arte postal é bem simples e legal de ser trabalhada, pois há total liberdade de meios e suportes ,e total liberdade na forma em que irá trabalhar.


ARTE POSTAL ARTE
Fabiane Pianowski
“ Motivos da criação da arte postal: Existem diversos motivos que levaram a criação da arte postal,entre eles estão, segundo Guy Bleus (2001): O descontentamento com a política de arte e com as galerias “importantes”, a necessidade de ampliar a função artística do criador, tomando parte em projetos internacionais e publicações e pela participação em exposições sem jurado e sem muitas concessões. Para o artista postal, a arte é um produto de comunicação e não uma mercadoria.



É interessante notar que a arte postal no Brasil iniciou-se no momento da censura,quando os artistas encontraram a solução para poder se expressar através da arte conceitual,com o objetivo de informar, protestar e denunciar, e sua principal característica são a expressão livre, em que telegramas, envelopes selos ou carimbos postais são utilizados como suporte para a expressão da sensibilidade.
Os artistas “reproduziram” suas artes nesse novo “formato”. Esse tipo de arte deu inicio a uma grande rede, houve uma forte ligação da arte postal e os movimentos, dentre eles destacamos o futurismo, o dadaísmo, o surrealismo, o novo realismo e o fluxus. Vários artistas praticaram esse tipo de arte, dentre eles Marcel Duchamp. “Arte Postal já trabalhava com os conceitos de difusão, criação compartilhada, interatividade, intercâmbio e produção em processo”.




Projeto de extensão: A TV vai à rua.

Memorial descritivo:

O trabalho realizado teve como objetivo mostrar para todos que estavam presentes, um pouco do que é a disciplina de Tecnologia Contemporânea na Escola, e como tema principal o vídeo arte que é o assunto a ser trabalhado com eles, sendo que o mesmo é uma forma de expressão artística.
Para que todo o grupo pudesse participar e colaborar com a realização da atividade, organizamos e distribuímos as funções da seguinte forma: todos os integrantes ficaram responsáveis de recepcionar os convidados, após estarem todos em sala a colega Regiane fez a abertura exibindo no data show uma pequena mensagem reflexiva em slide, “A visita”, comentamos um pouco sobre a mensagem e em seguida a aluna Cristiana fez a apresentação de cada componente do grupo, explicando também um pouco sobre a disciplina e assuntos estudados na mesma como: mídia, educação, tecnologia, arte postal, influencias da mídia na sociedade e vídeo arte que é o assunto a ser explorado. Após suas considerações a colega Ivone juntamente o Anderson explicaram a todos o que é o vídeo arte, deixando claro que o mesmo não é uma dramaturgia, uma encenação como contar uma historia ou fazer uma pequena montagem de um filme, e sim uma forma de expressão artística em que o vídeo é o elemento principal, mostrando também os vídeos produzidos por nós e comentando sobre o uso de alguns programas utilizados para fazer as modificações, após explicações deixamos os espectadores livres para questionamentos.
Tendo passado a parte teórica aos nossos convidados, resolvemos fazer um pequeno intervalo, aproveitando o momento, entregamos duas câmeras digitais a eles e pedimos que produzissem alguns vídeos. Retornamos para a sala e os colegas Anderson e Regiane trabalharam as modificações nos vídeos de forma explicativa para que todos pudessem acompanhar e levantar questionamentos sobre o processo de criação e modificação.
Podemos concluir que este trabalho foi satisfatório tanto para nós que repassamos um pouco de nossos conhecimentos quanto para eles que adquiriram novos conhecimentos. Percebemos também que os resultados foram positivos, pois houve participação e interação com a maioria, onde os mesmos demonstraram interesse pelo assunto trabalhado.




Imagens:

Resenha do filme:O Show de Truman do diretor Peter Weir .

Disciplina TCE - 3:

O Show de Truman



O filme “ Show de Truman” foi dirigido por Peter Lindsay Weir e nele é apresentado uma personagem que vive um protagonista em um show de sua própria vida. Este filme foi produzido no ano de 1998 e apresenta um mundo fictício todo preparado para receber o ator que é real. É interessante como o autor desse filme consegue de uma forma tão convincente manipular as vontades do ator principal onde dita a ele em forma de acontecimentos o que deve fazer e também até o que pensar. Até a enfermeira que se relaciona com ele é uma atriz dirigida para esse fim.
O autor de forma interessante criou uma situação circular de idéias e costumes entre Truman e a sociedade exterior. Ele vive sua vida sem saber que está sendo filmado e as pessoas que o assistem acabam, pelo poder da mídia, por imitá-lo e ele é induzido a fazer exatamente o que lhe é imposto.
No site,
http://www.planetaeducacao.com.br/portal/artigo.asp?artigo=98 há uma análise sobre este assunto:



O programa é cria da indústria cultural, produzido do alto pelas instituições sociais dominantes, que determinam o processo de consumo, instaurando na audiência uma reação automática e irreflexiva perante àquilo a ser consumido. Esse fato pode ser observado nas cenas em que aparecem as garçonetes, os policiais, as duas senhoras e o rapaz da banheira, pois essas pessoas estão constantemente assistindo ao show, inclusive em seus locais de trabalho e no correr da noite, não demonstrando preocupação com o fato de Truman viver todos os dez mil novecentos e nove capítulos aprisionado para entretê-los e vender-lhes os variados gêneros de produtos circulantes no sistema de livre-mercado. Não são capazes de tomar decisões sem a intervenção de agentes externos e passam a aderir acriticamente aos valores impostos e dominantes, difundidos pelos meios. Truman, por sua vez, é a personificação dessas pessoas. Vive em um mundo controlado, onde produtores se conjugam harmonicamente, determinando os padrões de consumo, tendo como objetivos principais a venda de mercadorias e o lucro acima de tudo, não importando a qualidade do produto, nem se estão sendo dignos com a humanidade e a sociedade.



Isso é o que mais acontece no mundo de hoje, pois o consumismo está acabando com muitas vidas que mesmo sem dar conta de cumprir com seus compromissos, se deixam levar pelo incentivo que recebem dos meios de comunicação a até mesmo comprar algo que nunca irá usar. O domínio, do poder, maior dos agentes externos os corrompem.
Truman mesmo sendo subjugado a uma vida manipulada, vamos dizer assim, começa a desenvolver dentro de si a vontade de buscar novos ideais.Na verdade é confirmado através dessa mudança na personagem que o ser humano pode mudar sua realidade através de si mesmo.






http://www.overmundo.com.br/overblog/truman-em-busca-da-liberdade
http://www.planetaeducacao.com.br/portal/artigo.asp?artigo=98
http://regianeartesuab.blogspot.com/

Programa Casseta e planeta urgenta!!!

Trabalho feito:da disciplina de TCE-3 - Analizando a Tv.


Na rede Globo de televisão, nas terças-feiras é exibido o programa Casseta e Planeta Urgente destinado aos telespectadores jovens e adultos por abranger vários tipos de assuntos, que a esta faixa etária interessa: futebol, novela, política; abordando tudo com um humor diferente e mais elaborado. Algumas pessoas, deste público, às vezes sentem dificuldades em entender ou interpretar o humor existente pelo grau de interpretação exigido nas apresentações.
Os assuntos, abordados neste programa, tentam em seus enredos repassar valores sociais e culturais sem preconceitos, sejam eles religiosos ou simplesmente socioculturais. Para eles credos e costumes são tratados criticamente tentando alertar os telespectadores dos problemas éticos porquê passa o Brasil. Problemas como homofobia, ambição, conceito de justiça são repassados sob uma ótica pessoal segundo a idéia de seus produtores, porém faz com que, quem assiste, pense sobre o assunto porque eu mesma como telespectadora discordo em muitos momentos da forma como eles mostram suas verdades e fico repensando e debatendo com meus amigos ou familiares.
A rede globo tem uma grande audiência e tenta ser bem perfeccionista em tudo o que faz e o figurino tem melhorado deixando as cada vez mais real as personagens; por vezes os atores humoristas imitam até a voz , o que dá mais significação e graça, mas nem sempre conseguem porque, dependendo da abordagem escolhida por eles, em determinados assuntos, acaba deixando o programa meio chato.
Não é um programa que apresenta uma beleza comum que a mídia deixa explicita, pois ambos os atores são bem diferentes e seus personagens bastante diversificados, ora magérrimos, obesos, intelectuais, analfabetos, homossexuais, negros, etc. Suas críticas são algumas vezes pejorativas e as pessoas que são imitadas por eles já entraram em atritos com seus produtores.
Como toda a mídia, seu poder, de certa forma, pode influenciar o comportamento das pessoas que o assistem, mas por atingir uma grande parte de adultos, destes já se espera idéias formadas sabendo refletir e tomar suas decisões com segurança. Claro que isso não é fechado porque cada pessoa tem seus conceitos e ideais e alguns acabam por imitar aspectos como modo de falar e vestir. As propagandas que são exibidas nos intervalos, também atingem ao mesmo público e oferecem produtos que incentivam ao consumo apresentando como necessários carros mais confortáveis, móveis e eletrodomésticos, Lançamento de CDs, etc.
Quanto à produção, é de minha opinião que Casseta e Planeta Urgente vêm caindo de audiência já há algum tempo. Eu mesma já não assisto ao programa todo e sim somente alguns quadros. Isso é pelo fato das piadas estarem sendo repassadas de forma pesada e repetitiva, pois o segredo do humor é pegar o espectador de surpresa. Se ficar repetindo, por mais brilhante que seja a piada, ela perde o sentido. Se eu dirigisse este programa tentaria mesclar fatos reais com fatos “utópicos” de justiça, solidariedade, preservação da natureza, procurando através dos sonhos de novos ideais contagiar os telespectadores com uma forma de vida mais solidária, justa e “humana”.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

DAR FORMA...

O que é p/você “dar forma”?

O que mais me atrai nesta definição é que ela elimina a possibilidade de se excluir qualquer forma artística baseada em preconceitos ou gosto pessoal.Se o artista se expressa esta fazendo arte.

Se desenhar é pensar ou pensar é também desenhar, ”dar forma” por meio do desenho não seria pensar formas?

Sim, um exemplo observação:
O desenho de observação força o sujeito a olhar com mais intensidade os objetos para poder desenhar. Aumenta a espessura do presente, estende o momento entre ver e nomear estende o confronto perceptual. Assim, deve desenvolver a capacidade de tolerar a ambigüidade, adiar a nomeação, ou a categorização das coisas.

O que seriam essas formas?

A aprendizagem do desenho de observação é a estratégia adequada para desenvolver a habilidade que capacita o indivíduo a expressar-se na linguagem visual. Este processo fundamenta-se numa longa e exaustiva série de exercícios do desenho de observação, que desenvolvem simultaneamente a percepção visual e a habilidade gráfica.

Porque é tão importante desenvolver a capacidade de dar forma?

As diferentes dimensões das percepções visuais como forma, tamanho, proporção, cor, textura são constantemente afetadas pelas estruturas perceptivas individuais.

“Não vemos o ‘espaço’ do mundo, vivemos nosso campo visual; não vemos”.
as ‘cores’ do mundo, vivemos nosso espaço cromático. (...) No entanto,
quando examinarmos mais de perto como chegamos a conhecer esse
mundo, descobriremos sempre que não podemos separar nossa história
das ações – biológicas e sociais – a partir das quais ele aparece para nós.
O mais óbvio e o mais próximo são sempre mais difíceis de perceber.

Texto a necessidade da arte

Ernst Fischer em A necessidade da arte revela-se um poeta, um esteta e grande crítico. Segue uma síntese da visão de Fischer. A função da arte não está apenas no fato de levar o homem a conhecer e mudar o mundo, mas também por seu caráter mágico, pela magia que lhe é inerente. Desprovida desse resíduo de magia provindo de sua natureza original, a arte deixa de ser arte. Dizem que a arte é tão antiga quanto o homem, e este, por princípio, um mago. Foi utilizando ferramentas que o homem se fez homem, produziu-se a si mesmo. Simultaneamente, o homem e a ferramenta passaram a existir, ligados um ao outro. O homem possui razão e mão, e foi a mão que libertou a razão humana e produziu consciência própria do homem. A eficiência é muito mais antiga do que o propósito; a mão é uma descobridora há mais tempo do que o cérebro. O homem primitivo ainda não distinguia claramente entre a sua atividade e o objeto ao qual ela se relacionava; as duas coisas formavam uma unidade indeterminada. Em todo poeta existe certa nostalgia de uma linguagem mágica, original. A arte, em todas as suas formas, era uma atividade comum a todos e elevando todos os homens acima do mundo animal. Mesmo muito tempo depois da quebra da comunidade primitiva e da sua substituição por uma sociedade dividida em classes, a arte não perdeu seu caráter coletivo. Somente a verdadeira arte consegue recriar a unidade entre o singular e o universal. Somente a arte consegue elevar o homem de um estado fragmentado a um estado de ser íntegro total. A arte é uma realidade social. A sociedade precisa do artista, uma vez que ela capacita o homem a compreender a realidade, e mais ainda, a suportá-la e, ainda melhor, a transformá-la, tornando-a mais humana e hospitaleira para a humanidade. A visão de arte socialista leva vantagem sobre a arte burguesa. A arte socialista acena com a possibilidade de um mundo mais racional, mais humano. Para isso, é preciso que os homens de ambos os lados não falem no vazio, que cada um entenda os problemas do outro, seus ideais, seus anseios. Esta é precisamente um das maiores funções da literatura e arte contemporânea. Finalmente, o homem que se tornou homem pelo trabalho, que superou os limites da animalidade transformando o natural em artificial, o homem que se tornou um mágico, o criador da realidade social, será sempre o mágico supremo, Prometeu trazendo o fogo do céu para a terra, Orfeu enfeitiçando a natureza com sua música. Enquanto a própria humanidade não morrer, a arte não morrerá.